Esdras e Neemias fazem parte dos livros da restauração, junto com Ageu, Zacarias e Malaquias. Do cativeiro babilônico, os judeus são restaurados à sua terra em Israel, após 70 anos, conforme profecia de Jeremias 25.11. Deus despertou o espírito do rei da Pérsia, Ciro, que conquistou o reino da Babilônia, para edificar o templo em Jerusalém. Então ele envia judeus, cujo espírito também Deus despertou, para retornarem a sua terra natal, liderados, primeiro, por Zorobabel, depois, liderados por Esdras. E mais tarde, liderados por Neemias.

  Enquanto Esdras fala da restauração do templo em Jerusalém, Neemias fala da restauração dos seus muros.   Há uma base Bíblica para ver no templo e na cidade de Jerusalém uma figura da igreja, chamada de nova Jerusalém, conforme vemos no Apocalipse 2.1-3, 9-16, 22-26.

  Vamos, pois, tirar lições para nossa vida e a vida da família.

1.Restaurando o templo: o relacionamento com a vida de Deus (parte 1)

2.Restaurando os muros: nossos relacionamentos e nossa família (parte 2)

3.Restaurando a obra: o relacionamento na obra de Deus  (parte 3)

Restaurando o templo: o relacionamento da vida com Deus (parte 1)

INTRODUÇÃO

  Antes dos muros serem restaurados, o templo é restaurado primeiro. E esta restauração do templo começou com Zorobabel e Esdras. Os muros foram restaurados com Neemias. Um continuou a obra do outro. O templo fala do nosso relacionamento com Deus; os muros falam dos nossos relacionamentos e nossa família. A tônica que vamos dar quanto à palavra “templo” é mais no sentido da manifestação da presença de Deus em nós e nossa família. Tanto isto é verdade que o judeu, quando ora, ainda hoje, a exemplo de Daniel, se volta para Jerusalém, para o templo, onde Deus disse que ali manifestaria seu nome e sua presença.

O TEMPLO ANTES DOS MUROS

  A pergunta é: Por que o templo (nosso relacionamento com Deus), é restaurado antes dos muros ( nossos relacionamentos)? É porque o relacionamento com Deus vem antes dos nossos relacionamentos. Se assim não acontecer, nossa casa não será edificada. Quando edificamos nossa casa no Senhor, então podemos edificar nossos relacionamentos.  No Sl 127.1 diz : Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.

  Interessante vermos uma ilustração clara sobre isto nos patriarcas, começando por Noé. Onde eles iam, antes de edificarem suas casas, eles edificavam um altar para Deus. Altar fala da manifestação da presença de Deus em nossa vida e relacionamentos. O altar vem antes da casa. Significa que o centro da nossa casa deve ser o Senhor. Vejamos os exemplos de Noé, Gn 8.20; Abraão, Gn 12.7,8 e 13.8; Jacó, Gn 28.18; etc. 

AGEU

  No livro de Ageu, outro livro da restauração, Deus usa seu profeta para advertir o povo que estava construindo suas casas e tinham se esquecido de concluir a casa de Deus e o seu serviço sacerdotal. Devido a oposição dos inimigos, a construção  ficou parada por uns 15 anos. Consequentemente, tudo ia mal na vida com Deus, vida familiar e financeira. Tudo o que eles estavam adquirindo e fazendo, perdiam. Seus bolsos eram como um saquitel furado. O que entrava, saia. Muitas vezes vivemos assim: procuramos edificar nossa casa sem edificar o altar de Deus em nossos lares. Mas eles se arrependeram e passaram a fazer a ordem certa. Começaram a edificar o altar de Deus e assim suas casas puderam ser edificadas. A partir daí tudo deu certo. Só podemos ter lares restaurados quando nossa vida com Deus é restaurada.

ZACARIAS

  O livro de Zacarias mostra este mesmo período que Ageu. Dos livros proféticos, este é o que mais cita sobre a vinda de Cristo, depois de Isaías. E este livro é um chamado à conversão a Deus para o povo concluir a construção do templo, a manifestação da presença de Deus no meio do seu povo.  Outro chamado interessante da parte de Deus encontramos aqui também em Zac 4:10,  dizendo que seu povo não deveria desprezar o dia dos humildes começos,  pois o povo estava comparando o primeiro templo glorioso construído por Salomão com este segundo templo mais simples construído por Zorobabel. Mas a questão não é a formosura do templo, mas a presença e a manifestação da presença de Deus. E conclui neste versículo 10 dizendo que havia um prumo na mão de Zorobabel, um material de construção.

 Aqui aprendemos que não devemos desprezar os  humildes começos do que Deus está fazendo na nossa comunhão com ele, nossa família e igreja. Vamos cooperar com O Espírito de Deus neste começo e conclusão da sua obra em nós. E também diz em

Zacarias 4:6 que esta obra não é por força e nem por violência, mas pelo Espírito Santo.. Nós somos cooperadores de Deus no que Deus quer fazer em nós e através de nós.

MALAQUIAS

  Malaquias, mais outro livro da restauração. Haviam se passado desde o retorno dos judeus à Palestina há uns 100 anos. Os sacerdotes e o povo estavam longe de Deus, se descuidavam da vida no templo, não eram fiéis com Deus, deixaram de lado suas contribuições para a obra, tinham problemas e pecados em suas famílias. O povo estava morto espiritualmente. Tinham perdido o brilho da vida com Deus. Tinham o templo restaurado mas não tinham a manifestação da presença de Deus. Era uma vida meramente religiosa. O próprio Deus reclamava desta situação perguntando onde estava sua honra de Pai. Então, o profeta mostra uma promessa que diz que o Senhor converterá o coração dos pais aos filhos e dos filhos aos pais, para que ele não venha ferir a terra com maldição, Ml 3.6. É o último versículo do A.T. que se cumpriu em João Batista, que se consumou no Senhor Jesus Cristo, que se tornou uma realidade a cada um de nós pela nossa salvação em Cristo. Mas para a igreja ser restaurada, a família ser restaurada, o casal ser restaurado, pais serem restaurados, temos que ser restaurados na vida com Deus. Temos que nos converter ao Senhor, primeiro, depois podemos nos converter uns para os outros. Quando nos voltamos para Deus, nos voltamos uns para os outros; nos voltamos para nosso lar. É a presença de Deus em nosso lar.

CONCLUSÃO

  Estes livros de restauração, principalmente os livros de Esdras e Neemias, vemos Deus levando o povo ao reavivamento, uma busca, uma consagração a ele. Vemos Esdras no livro de Neemias lendo a Lei de Deus e o povo se arrependendo e chorando quebrantado. E, nestes reavivamentos, era feita aliança com Deus: do povo, das famílias se voltarem para ele e sua lei, abandonarem seus pecados, todo desvio da lei, todo paganismo, idolatria, infidelidade com Deus e infidelidade com suas famílias, etc. O que também temos visto na história da igreja por suas gerações, chegando até nós. É uma volta para Deus. É restaurar o altar de Deus na igreja, na nossa casa. Como ocorria com Israel e tem ocorrido na vida da igreja, nós também, hoje, precisamos de um despertamento espiritual, de um reavivamento. Paulo chamava a igreja de Éfeso a este avivamento, conforme lemos em Ef 5.14 com 18. O Senhor também hoje nos chama a este despertamento espiritual.

  Hoje, no Novo Testamento, o Senhor Jesus já fez uma aliança com Deus e conosco. Pois vamos viver para ele. E no nosso casamento também tem uma aliança de amor e fidelidade entre o casal. Aliança esta que só será uma realidade quando vivermos debaixo da nova aliança com Deus através de Cristo pelo seu Espírito, que habita em nós como seu altar e manifesta toda presença da vida de Deus. Então, antes de tratarmos dos nossos relacionamentos na família, tratemos com Deus em nossa vida. É ele, tão somente ele, que poderá salvar, restaurar, aperfeiçoar, amadurecer nosso casamento e nossa família.

Que nosso coração, que hoje é o templo de Deus, também seja seu altar, lugar de adoração e manifestação da presença de Deus no Espírito. Nós podemos ser o templo, um lugar físico, mas não ser um altar, um lugar onde os sacrifícios vivos e agradáveis a Deus são apresentados. Interessante observar na palavra que o altar vem antes do templo. O templo passou a existir por causa do altar. Vemos isto no livro de Esdras, 3.2, o altar de Deus; e o 3.8, o templo.

O altar fala da manifestação da presença de Deus. Que assim seja o nosso coração, um altar para Deus. Nosso corpo é o templo de Deus onde está o seu altar. Um altar da presença de Deus, um altar de entrega, um altar de consagração, um altar de sacrifício vivo e agradável a Deus.

 Consagremos  as nossas alianças para o Senhor! 

Autor Pr. João Nelson Otto

Presbítero na Comunidade de Porto Alegre, pastoreando vidas desde 1979. Formado em teologia, casado com Sirlei Otto, pai de 3 filhos e avô de 10 netos. Autor do livro “O serviço dos santos”.

O texto acima expressa a visão do autor sobre o assunto, não sendo necessariamente a visão do site.

Ao ler este texto, você acredita que o seu coração está sendo lugar de altar para Deus? Se não, o que você pode mudar na sua vida para que isso aconteça?