Uma das coisas que nos impressiona é ver como Jesus se preocupou em nos avisar acerca dos acontecimentos futuros. Ele foi pontual, claro e não nos deixou na ignorância. Observe que o autor do texto, bem alinhado com as escrituras , nos mostra o perigo dos falsos evangelhos  e nos aponta o caminho a seguir, citado por Jesus em Mateus 5,6 e 7. Medite em qual evangelho você está seguindo. Compartilhe com um irmão sobre esta palavra.

“Outros Evangelhos”        

1. Pregar “outro evangelho” conduz à maldição. 

Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou  pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho.  O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o  evangelho de Cristo. Mas ainda que nós ou um anjo do céu pregue um evangelho  diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado! 

Como já dissemos, agora repito: Se alguém lhes anuncia um evangelho diferente daquele  que já receberam, que seja amaldiçoado!

Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar  a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo. Irmãos, quero que saibam que o evangelho por mim anunciado não é de origem humana. 

Não o recebi de pessoa alguma nem me foi ele ensinado; pelo contrário, eu o recebi de  Jesus Cristo por revelação”. (Gálatas 1:6-12) 

2. O que seria esse “outro evangelho”? 

Outros “evangelhos” na atualidade 

2.1 – Evangelho “Self-service” 

2.2 – Evangelho da Prosperidade 

2.3 – Evangelho coaching 

– O que é coaching? (Uma técnica originalmente boa e eficaz, mas para propósitos  específicos, e que, infelizmente, foi distorcida em seu propósito e conteúdo por vários  coaches, ao longo do tempo – os bons coaches fazem seu trabalho sem estardalhaço e  seguindo a prática original, os maus coaches transformaram o coaching em imersão  motivacional usando linguajar e conceitos de aparência científica, ganhando muito dinheiro  com a massificação do coaching distorcido, puramente mercantil, vendendo cursos e  produtos relacionados – exemplos de aplicações eficazes e de aplicações falsas). 

Igreja é lugar de coaching? Púlpito é lugar de coaching? 

Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável”  (Salmos 51:10). 

– Quem, segundo o salmista, pode tornar meu coração puro e meu espírito estável? 

– O coaching, a psicologia, a psicoterapia, a ciência etc, podem nos tornar puros e  espiritualmente estáveis? 

Técnicas, métodos, ferramentas e recursos desenvolvidos pelo ser humano (exceto  quando se chocam com valores e princípios bíblico-cristãos) podem, sim, ajudar em  muitas áreas da vida, inclusive a trabalhar nossos pensamentos, regular emoções e mudar  comportamentos. E é ótimo naquilo em que se aplica! Contudo, nada disso pode purificar  nosso coração nem nos transformar espiritualmente. Essa área só é transformada pelo  conhecimento de Deus e pela relação íntima, pessoal e sincera com Ele.  

“Ouçam agora, vocês que dizem: “Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro”. Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa. Ao invés disso, deveriam dizer: “Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”. Agora, porém, vocês se vangloriam das suas pretensões. Toda vanglória como essa é maligna.” (Tiago 4:13-16) 

Assim diz o Senhor: “Não se glorie o sábio em sua sabedoria, nem o forte em sua força, nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor, e ajo com lealdade, com justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado”, declara o Senhor” (Jeremias 9:23,24) 

Outros “evangelhos” na atualidade 

2.4 – Cristianismo pagão – negação de alguns valores, princípios e doutrinas bíblicas  fundamentais; relativização das Escrituras; sincretismo de partes de cristianismo com  partes de outras crenças; permissividade moral (tudo é permitido); elementos esotéricos (“o homem é sagrado”, “precisamos resgatar a sabedoria ancestral” etc.) 

2.5 – TMI (Teologia da Missão Integral) latino-americana – deturpação da TMI original, surgida no Pacto de Lausanne – esta propunha o resgate do princípio bíblico-cristão de que o homem é para ser visto de  forma integral (em todas as suas dimensões), devendo ser abordado e evangelizado nessa  integralidade, de modo que o evangelho nos transforme na totalidade e nos conduza a  assumirmos uma responsabilidade pessoal e social diante de Deus e da Sua criação; a TMI  latino-americana distorceu esse conceito e virou uma versão pseudo evangélica da Teologia  da Libertação, do frei Leonardo Boff, e que foi oficialmente rechaçada pela Igreja Católica;  nela, o centro é o homem, e não Cristo; forte influência marxista; a ênfase é que “O Reino de Deus é aqui e agora”, que o cristão deve se concentrar em “construir o reino de Deus  aqui na terra”, mediante ações políticas e sociais, e a ideia de que o Reino de Deus seria,  simplesmente, a conquista da igualdade social; nega ênfases ensinadas por Jesus e pelos  apóstolos, como o olhar direcionado para a eternidade e não para essa vida, entre outras. 

2.6 – Teologia “inclusiva” – sabemos que o cristianismo é 100% inclusivo em sua origem,  essência e história, mas a teologia “inclusiva” distorce o real conceito de inclusão; para os  defensores desse “outro evangelho”, a igreja de Jesus deve rejeitar, reescrever ou  “atualizar” os muitos textos bíblicos de cunho moral e que falam de pecado; não basta  acolher o pecador, é preciso deixá-lo à vontade para fazer o que tiver vontade, seguir seus  desejos e impulsos, e que Deus “não se importa” com isso, pois quer que Seus filhos sejam  “felizes” e cada um tenha plena liberdade de seguir seus próprios instintos; o lema é que,  se Deus ama a todos, por isso aceita “todas as formas de amor”, não estabelecendo regras  nem limites na busca pela felicidade; etc. 

2.7 – Teologia legalista/farisaica – o extremo oposto da teologia inclusiva, sendo, porém,  uma postura também distante do verdadeiro evangelho; como os fariseus nos tempos de  Jesus, apegam-se exageradamente a regras, leis e costumes; deturpam partes das  Escrituras, fazendo parecer que Deus é meramente um juiz que se ocupa em vigiar as  pessoas e ameaçá-las com castigos caso não sigam à risca a “lei” imposta; em geral são  cheios de religiosidade, mas apresentam péssima espiritualidade; a aparência conta mais  do que a intimidade; humildade, misericórdia, compaixão e amor ao próximo são princípios  esquecidos, substituídos por aparência, discurso sem vida autêntica etc. 

3. O evangelho “esquecido”: 

3.1 – Amar a Deus acima de tudo 

Amar a si mesmo 

Amar o próximo (quem é o próximo?) 

Lucas 10:25-37 

25 Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus à prova e lhe perguntou:  “Mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna?” 

26 “O que está escrito na Lei?”, respondeu Jesus. “Como você a lê?” 

27 Ele respondeu: “‘Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de  todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si  mesmo’”. 

28Disse Jesus: “Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá”. 

29 Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30 Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas  mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. 31 Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o  homem, passou pelo outro lado. 32 E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o  viu, passou pelo outro lado. 33 Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se 

encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. 34 Aproximou-se, enfaixou-lhe as  feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou o para uma hospedaria e cuidou dele. 35No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e  lhe disse: ‘Cuide dele. Quando eu voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’. 36 “Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos  assaltantes?” 

37 “Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: “Vá e faça  o mesmo”. 

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós,  que também vós uns aos outros vos ameis”. (João 13:34) 

3.2 – Pobres em espírito 

Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus.” (Mateus 5:3) O que significa ser pobre em espírito? Jesus está falando de pobreza espiritual. 

O pobre em espírito é uma pessoa que reconhece sua miséria espiritual diante do Senhor, tem consciência de que estamos espiritualmente arruinados quando negligenciamos Deus.  O pobre em espírito admite sua pobreza total diante do Senhor.  

Pr. John MacArthur: “pobre em espírito refere-se à profunda humildade de reconhecer a  total falência espiritual de si mesmo quando estamos separados de Deus”. Os pobres em espírito exibem uma genuína humildade e são despojados d

Lucas 10:25-37 

25 Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus à prova e lhe perguntou:  “Mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna?” 

26 “O que está escrito na Lei?”, respondeu Jesus. “Como você a lê?” 

27 Ele respondeu: “‘Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de  todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si  mesmo’”. 

28Disse Jesus: “Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá”. 

29 Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30 Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas  mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. 31 Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o  homem, passou pelo outro lado. 32 E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o  viu, passou pelo outro lado. 33 Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se 

encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. 34 Aproximou-se, enfaixou-lhe as  feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou o para uma hospedaria e cuidou dele. 35No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e  lhe disse: ‘Cuide dele. Quando eu voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’. 36 “Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos  assaltantes?” 

37 “Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: “Vá e faça  o mesmo”. 

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós,  que também vós uns aos outros vos ameis”. (João 13:34) 

3.2 – Pobres em espírito 

Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus.” (Mateus 5:3) O que significa ser pobre em espírito? Jesus está falando de pobreza espiritual. 

O pobre em espírito é uma pessoa que reconhece sua miséria espiritual diante do Senhor, tem consciência de que estamos espiritualmente arruinados quando negligenciamos Deus.  O pobre em espírito admite sua pobreza total diante do Senhor.  

Pr. John MacArthur: “pobre em espírito refere-se à profunda humildade de reconhecer a  total falência espiritual de si mesmo quando estamos separados de Deus”. Os pobres em espírito exibem uma genuína humildade e são despojados de todo o orgulho, não confia em  si mesmo, mas busca desesperadamente graça e misericórdia. Comparemos isso com o que  o mundo ensina. 

e todo o orgulho, não confia em  si mesmo, mas busca desesperadamente graça e misericórdia. Comparemos isso com o que  o mundo ensina. 

Lembremos – a bem-aventurança termina com uma promessa: “deles é o reino dos céus”.  Portanto, o Reino de Deus é para aqueles que admitem sua condição pecaminosa e ruína  espiritual, e se chegam ao Senhor humilhados. 

3.3 – Humildade 

Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança”. (Mateus 5:5) 

Dicionários: “que não é vaidoso, nem arrogante; não festeja a si mesmo; não se  autopromove; tem a virtude de conhecer suas próprias limitações; modesto”. 

O mundo ensina exatamente o contrário. Mas não significa que vc não possa reconhecer  suas virtudes e usá-las em benefício do Reino. 

3.4 – Misericórdia 

Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia.” (Mateus 5:7)

Dicionários: “sentimento de dor e solidariedade com relação a alguém que sofre; dó,  compaixão, piedade. Ato concreto de manifestação desse sentimento, como o perdão;  indulgência, graça, clemência”. 

3.5 – Coração puro 

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus.” (Mateus 5:8) 

3.6 – Pacificadores 

Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus.” (Mateus 5:9) 

3.7 – Perseguidos 

Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e  levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é  a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que  viveram antes de vocês“. (Mateus 5:11,12) 

3.8 – Sal da terra e luz do mundo 

Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá  para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens. 

“Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo  contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e  glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus“. (Mateus 5:13-16) 

3.9 – Relacionamentos antes de ofertas ao Senhor Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que

seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro  reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta”. (Mateus 5:23.24) 

3.10 – Enfrentamento do pecado 

Mas eu lhes digo: qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu  adultério com ela no seu coração. Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o  fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno. E se  a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. É melhor perder uma parte do seu  corpo do que ir todo ele para o inferno“. (Mateus 5:28-30) 

3.11 – Palavra firme, justa, honesta, objetiva, que não volta atrás 

Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, ‘não’; o que passar disso vem do Maligno“. (Mateus  5:37) 

3.12 – Não ser reativo, não pagar na mesma moeda, não retribuir o mal com o mal, dar a  outra face 

Vocês ouviram o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente’. Mas eu lhes digo: Não  resistam ao perverso. Se alguém o ferir na face direita, ofereça-lhe também a outra. E se 

alguém quiser processá-lo e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa. Se alguém o  forçar a caminhar com ele uma milha, vá com ele duas” (Mateus 5:38-41). 

3.13 – Amar os inimigos 

Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas eu lhes  digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem…” (Mateus 5:43,44) 

Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa receberão? Até os publicanos  fazem isso! E se vocês saudarem apenas os seus irmãos, o que estarão fazendo de mais?  Até os pagãos fazem isso!” (Mateus 5:46,47) 

3.14 – Buscar a perfeição, mesmo sabendo que não a conseguiremos nesta vida Sejam perfeitos como perfeito é o Pai celestial de vocês“. (Mateus 5:48) 

3.15 – Discrição no viver a vida cristã 

Tenham o cuidado de não praticar suas ‘obras de justiça’ diante dos outros para serem  vistos por eles. Se fizerem isso, vocês não terão nenhuma recompensa do Pai celestial. “Portanto, quando você der esmola, não anuncie isso com trombetas, como fazem os  hipócritas nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem honrados pelos outros. Eu lhes  garanto que eles já receberam sua plena recompensa. 

Mas quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a  direita, de forma que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito  em segredo, o recompensará”. “E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em  pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que  

eles já receberam sua plena recompensa. Mas quando você orar, vá para seu quarto,  feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o  recompensará”. (Mateus 6:1-6) 

3.15 – Contentamento – o que devemos desejar e pedir a Deus, o que deve nos fazer felizes 

Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia”. (Mateus 6:11) 

“(…) Pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o  que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos”. (1 Timóteo 6:7,8) 

3.16 – Não juntar tesouros aqui 

Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e  onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros no céu, onde a  traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde  estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”. (Mateus 6:19-21) 

3.17 – Segurança e estabilidade – Emprego estável? Concurso público? Empresa?  Riqueza? 

“(…) Não ponham sua esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus, que de tudo nos  provê ricamente, para a nossa satisfação”. (1 Timóteo 6:17) 

3.18 – Preocupações com as coisas da vida 

Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a  um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro. Portanto eu lhes digo: não se preocupem com suas próprias vidas, quanto ao que comer  ou beber; nem com seus próprios corpos, quanto ao que vestir. Não é a vida mais  importante do que a comida, e o corpo mais importante do que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros;  contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua  vida? 

“Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles  não trabalham nem tecem. 

Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um  deles. 

Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não  vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? 

Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer? ’ ou ‘que vamos beber? ’ ou  ‘que vamos vestir? ’ 

Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês  precisam delas. 

Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes  serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo  

mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal“. (Mateus 6:25-34) 

3.19 – Façam aos outros o que vc quer que outros façam a você 

Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam; pois esta é a  Lei e os Profetas“. (Mateus 7:12) 

3.20 – A porta do Céu é estreita 

Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e  são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva  à vida! São poucos os que a encontram“. (Mateus 7:13,14) 

3.21 – A salvação é somente para quem faz a vontade de Deus, e não para quem apenas  diz que acredita nEle 

Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas  aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia:  ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos  demônios e não realizamos muitos milagres? ’ Então eu lhes direi claramente: ‘Nunca os  conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!’ “. (Mateus 7:21-23)

3.22 – Honra – para quem? Honre quem merece ser honrado, e honre aos outros mais  do que a si mesmo 

Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do  que a si próprios.” (Romanos 12:10) 

(…) A quem honra, honra”. (Romanos 13:7) 

Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai  e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas  muito tempo sobre a terra”. (Efésios 6:1-3) 

3.23 – Não se dedicar a ficar rico 

Não te esforces para enriqueceres; e não apliques nisso a tua sabedoria.” (Provérbios  23:4) 

3.24 – Repartir o que tem  

Não se esqueçam de fazer o bem e de repartir com os outros o que vocês têm, pois de  tais sacrifícios Deus se agrada.” (Hebreus 13:16) 

O que devemos fazer então?”, perguntavam as multidões [sobre produzir frutos para a  vida eterna]. João respondia: “Quem tem duas túnicas reparta-as com quem não tem nenhuma; e quem tem comida faça o mesmo“. (Lucas 3:10,1) 

O que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo de útil com as mãos, para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade”. (Efésios 4:28)

Ordene aos ricos que pratiquem o bem, sejam ricos em boas obras, generosos e prontos  para repartir”. (1 Timóteo 6:18) 

3.25 – Cuidar do pobre, dos órfãos, das viúvas 

A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas  suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo”. (Tiago 1:27) 

Fazei justiça ao pobre e ao órfão; justificai o aflito e o necessitado”. (Salmos 82:3) 

Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão;  tratai da causa das viúvas”. (Isaías 1:17) 

3.26 – Não exaltar a si mesmo, não se auto-promover 

Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo  se humilhar será exaltado”. (Lucas 14:11) 

3.27 – Negar-se a si mesmo, renunciar ao próprio eu

Então Jesus disse aos seus discípulos: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si  mesmo, tome a sua cruz e siga-me”. (Mateus 16:24) 

3.28 – Considerar os outros superiores a vc 

Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas por humildade; cada um  considerando os outros superiores a si mesmo”. (Filipenses 2:3) 

3.29 – Peregrinos e forasteiros nesse mundo 

Amados, insisto em que, como estrangeiros e peregrinos no mundo, vocês se abstenham  dos desejos carnais que guerreiam contra a alma”. (1 Pedro 2:11) 

Dei-lhes a Tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são deste mundo, como eu  também não sou”. (João 17:14) 

3.30 – Não amar o mundo  

Não amem o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor  do Pai não está nele”. (1 João 2:15) 

3.31 – Cuidado com a vaidade 

Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e  correr atrás do vento”. (Eclesiastes 1:14) 

Não vos desvieis; pois seguiríeis coisas vãs, que nada aproveitam e tampouco vos podem  livrar, porque vaidade são”. (1 Samuel 12:21) “Da mesma forma quero que as mulheres se vistam com modéstia, decência e discrição, e 

que não chamem a atenção pela forma como arrumam o cabelo, nem por enfeites de  ouro e pérolas, nem com uso de roupas caras, mas com boas obras, como convém a  mulheres que professam adorar a Deus”. (1 Timóteo 2:9,10) 

3.32 – Amor ao dinheiro 

Quem ama o dinheiro jamais dele se farta; e quem ama a abundância nunca se farta da  renda; também isto é vaidade”. (Eclesiastes 5:10) 

Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos  descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por desejarem ter  dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos. Você, porém, homem de Deus, fuja de tudo isso e busque a justiça, a piedade, a fé, o  amor, a perseverança e a mansidão”. (1 Timóteo 6:9-11) 

Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro  no céu; e vem e segue-me. 

E o jovem, ouvindo essa palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades. Disse, então, Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no Reino dos céus

E outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que  entrar um rico no Reino de Deus”. (Mateus 19:21-24) O problema não é a riqueza em si,  mas o fato de que o ser humano, caído e pecador, tende a se apegar a ela. Por que Jesus  mandou o jovem rico dar tudo o que tinha aos pobres e segui-Lo? Porque Jesus sabia do  coração daquele rico, sabia que, mesmo sendo um fiel cumpridor dos mandamentos de  Deus, era apegado ao dinheiro e aos seus bens e não teria coragem de largar tudo para ir  com Jesus; e aquele era um exemplo para ensinar não só ao jovem rico, mas, também, aos  discípulos, a lição de que seguir a Cristo exige total desprendimento, e que o Reino dos  céus se ganha por fé, ao confiarmos que Deus lhe basta e que as riquezas materiais (nem  nada deste mundo) conferem real segurança, mas somente o Senhor. Naquele episódio  Jesus demonstrou como um jovem, embora sincero, fiel e zeloso, não confiava em Deus o  suficiente, precisando manter a “segurança” de suas riquezas, resistindo a dar tudo aos  pobres e ganhar um tesouro no céu. 

3.33 – Olhos na eternidade 

Pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória  eterna que pesa mais do que todos eles. Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê,  mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno”. (2  Coríntios 4;17,18) 

3.34 – Não amar sua própria vida neste mundo 

Quem ama sua vida neste mundo a perderá. Quem odeia sua vida neste mundo a  conservará por toda a eternidade”. (João 12:25) 

3.35 – Não deixar de congregar 

Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns”. (Hebreus 10:25) 

3.36 – Frutos do Espírito x Dons do Espírito  

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade,  fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei”. (Gálatas 5:22,23) 

3.37 – Fé para acreditar (conversão) e fé para confiar (viver vida cristã e se relacionar com  Deus): fé se aprende, assim como os frutos do Espírito  

4. O evangelho abandonado: 

Apostasia 

O Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando  ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios (…)”. (1 Timóteo 4:1) 

Perseguição 

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino  dos céus; bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem, e, mentindo, 

disserem todo o mal contra vós, por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o  vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós”. (Mateus 5:10-12). 

Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós, sábios em Cristo; nós, fracos, e vós, fortes;  vós, ilustres, e nós, vis. Até esta presente hora, sofremos fome e sede, e estamos nus, e  recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, e nos afadigamos, trabalhando com  

nossas próprias mãos; somos injuriados e bendizemos; somos perseguidos e sofremos; somos blasfemados e rogamos; até ao presente, temos chegado a ser como o lixo deste  mundo e como a escória de todos”. (1 Coríntios 4:10-13) 

Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; trazendo sempre por  toda parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se  manifeste também em nossos corpos. E assim nós, que vivemos, estamos sempre  entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também em  nossa carne mortal”. (2 Coríntios 4:8-11) 

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou  a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?” (Romanos 8:35) 

5. Voltemos ao Evangelho 

Que modelo de conduta e de vida Jesus nos deixou? Qual nosso papel aqui?  

Função da igreja 

Pregar o evangelho, viver comunidade, servir uns aos outros, exercer os dons do Espírito,  frutificar espiritualmente, ser luz e sal, fazer o bem, ajudar o próximo, cuidar dos  necessitados, repartir o que temos, enfrentar a injustiça e a perseguição como Jesus o fez,  crer no que Deus tem preparado para nós, nos preparar para a morte, esperar a volta de  Cristo. 

Onde está depositada nossa esperança

Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e  nos gloriamos na esperança da glória de Deus. Não só isso, mas também nos gloriamos  

nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança,  um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos  decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito  Santo que ele nos concedeu”. (Romanos 5:1-5) 

(…) Sabemos que toda a criação geme e sofre com dores de parto até agora. E não só ela,  mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos,  esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porque, em esperança, somos 

salvos. Ora, a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê, como o  esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos”. (Romanos  8:22-25) 

6. O preço do evangelho  

O exemplo de Daniel:

Dario achou por bem nomear cento e vinte sátrapas para governarem todo o reino; e colocou três supervisores sobre eles, um dos quais era Daniel. Os sátrapas tinham que  prestar contas a eles para que o rei não sofresse nenhuma perda. 

Ora, Daniel se destacou tanto entre os supervisores e os sátrapas por suas grandes  qualidades, que o rei planejava colocá-lo à frente do governo de todo o império. Diante disso, os supervisores e os sátrapas procuraram motivos para acusar Daniel em sua  administração governamental, mas nada conseguiram. Não puderam achar falta alguma  nele, pois ele era fiel; não era desonesto nem negligente. 

Finalmente esses homens disseram: “Jamais encontraremos algum motivo para acusar  esse Daniel, a menos que seja algo relacionado com a lei do Deus dele”. E assim os supervisores e os sátrapas de comum acordo foram falar com o rei: “Ó rei  Dario, vive para sempre! Todos os supervisores reais, os prefeitos, os sátrapas, os conselheiros e os governadores  

concordaram em que o rei deve emitir um decreto ordenando que todo aquele que orar a  qualquer deus ou a qualquer homem nos próximos trinta dias, exceto a ti, ó rei, seja  atirado na cova dos leões. 

Agora, ó rei, emite o decreto e assina-o para que não seja alterado, conforme a lei dos  medos e dos persas, que não pode ser revogada”. 

E o rei Dario assinou o decreto. 

Quando Daniel soube que o decreto tinha sido publicado, foi para casa, para o seu quarto,  no andar de cima, onde as janelas davam para Jerusalém. Três vezes por dia ele se  ajoelhava e orava, agradecendo ao seu Deus, como costumava fazer. Então aqueles homens foram ver e encontraram Daniel orando, pedindo ajuda a Deus. Assim foram falar com o rei acerca do decreto real: “Tu não publicaste um decreto  ordenando que nos próximos trinta dias todo aquele que fizesse algum pedido a qualquer  deus ou a qualquer homem, exceto a ti, ó rei, seria lançado na cova dos leões? ” O rei  respondeu: “O decreto está em vigor, conforme a lei dos medos e dos persas, que não  pode ser revogada”. 

Então disseram ao rei: “Daniel, um dos exilados de Judá, não te dá ouvidos, ó rei, nem ao  decreto que assinaste. Ele continua orando três vezes por dia”. 

Quando o rei ouviu isso, ficou muito contrariado, e como estava decidido a salvar Daniel,  até o pôr-do-sol fez todo o esforço que pôde para livrá-lo. 

Mas os homens lhe disseram: “Lembra-te, ó rei, que, conforme a lei dos medos e dos  persas, nenhum decreto ou edito do rei pode ser modificado”. 

Então o rei deu ordens, e eles trouxeram Daniel e o jogaram na cova dos leões. O rei,  porém, disse a Daniel: “Que o seu Deus, a quem você serve continuamente, o livre! “ Taparam a cova com uma pedra, e o rei a selou com o seu próprio anel-selo e com os anéis 

dos seus nobres, para que a situação de Daniel não se modificasse. 

Tendo voltado ao palácio, o rei passou a noite sem comer e não aceitou nenhum  divertimento em sua presença. Além disso, não conseguiu dormir. 

Logo ao alvorecer, o rei se levantou e correu para a cova dos leões. 

Quando ia se aproximando da cova, chamou Daniel com voz aflita: “Daniel, servo do Deus  vivo, será que o seu Deus, a quem você serve continuamente, pôde livrá-lo dos leões? “ Daniel respondeu: “Ó rei, vive para sempre! 

O meu Deus enviou o seu anjo, que fechou a boca dos leões. Eles não me fizeram mal  algum, pois fui considerado inocente à vista de Deus. Também contra ti não cometi mal  algum, ó rei”. 

O rei muito se alegrou e ordenou que tirassem Daniel da cova. Quando o tiraram da cova,  viram que não havia nele nenhum ferimento, pois ele tinha confiado no seu Deus. E por ordem do rei, os homens que tinham acusado Daniel foram atirados na cova dos  leões, juntamente com as suas mulheres e os seus filhos. E, antes de chegarem ao fundo,  os leões os atacaram e despedaçaram todos os seus ossos. 

Então o rei Dario escreveu aos homens de todas as nações, povos e línguas de toda a  terra: “Paz e prosperidade! 

“Estou editando um decreto para que nos domínios do império os homens temam e  reverenciem o Deus de Daniel. “Pois ele é o Deus vivo e permanece para sempre; o seu  reino não será destruído, o seu domínio jamais acabará. Ele livra e salva; faz sinais e maravilhas nos céus e na terra. Ele livrou Daniel do poder dos  leões. Assim Daniel prosperou durante os reinados de Dario e de Ciro, o persa”. (Daniel 6:1-28) 

Pergunte-se: Se a oração fosse proibida por 30 dias, como no tempo de Daniel, sua vida estaria em  risco? 

O exemplo de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego 

O rei Nabucodonosor fez uma imagem de ouro de vinte e sete metros de altura e dois  metros e setenta centímetros de largura, e a ergueu na planície de Dura, na província da  Babilônia. 

Depois convocou os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os conselheiros, os  tesoureiros, os juízes, os magistrados e todas as autoridades provinciais para assistirem à  dedicação da imagem que mandara erguer. 

Assim todos eles, sátrapas, prefeitos, governadores, conselheiros, tesoureiros, juízes,  magistrados e todas as autoridades provinciais se reuniram para a dedicação da imagem  que o rei Nabucodonosor mandara erguer, e ficaram de pé diante dela. Então o arauto proclamou em alta voz: “Esta é a ordem que lhes é dada, ó homens de  todas nações, povos e línguas: 

Quando ouvirem o som da trombeta, do pífaro, da cítara, da harpa, do saltério, da flauta  dupla e de toda espécie de música, prostrem-se em terra e adorem a imagem de ouro que  o rei Nabucodonosor ergueu. 

Quem não se prostrar em terra e não adorá-la será imediatamente atirado numa fornalha  em chamas”.

Por isso, logo que ouviram o som da trombeta, do pífaro, da cítara, da harpa, do saltério e  de toda espécie de música, os homens de todas nações, povos e línguas prostraram-se em  terra e adoraram a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor mandara erguer. Nesse momento alguns astrólogos se aproximaram e denunciaram os judeus, dizendo ao rei Nabucodonosor: “Ó rei, vive para sempre! 

Tu emitiste um decreto, ó rei, ordenando que todo o que ouvisse o som da trombeta, do  pífaro, da cítara, da harpa, do saltério, da flauta dupla e de toda espécie de música se  prostrasse em terra e adorasse a imagem de ouro, 

e que todo o que não se prostrasse em terra e não a adorasse seria atirado numa fornalha  em chamas. 

Mas há alguns judeus que nomeaste para administrar a província da Babilônia, Sadraque,  Mesaque e Abede-Nego, que não te dão ouvidos, ó rei. Não prestam culto aos teus deuses  nem adoram a imagem de ouro que mandaste erguer”. 

Furioso, Nabucodonosor mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. E assim que  eles foram conduzidos à presença do rei, Nabucodonosor lhes disse: “É verdade, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vocês não  prestam culto aos meus deuses nem adoram a imagem de ouro que mandei erguer? Agora, porém, quando vocês ouvirem o som da trombeta, do pífaro, da cítara, da harpa,  do saltério, da flauta dupla e de toda espécie de música, se vocês se dispuserem a  prostrar-se em terra e a adorar a imagem que eu fiz, será melhor para vocês. Mas, se não  

a adorarem, serão imediatamente atirados numa fornalha em chamas. E que deus poderá  livrá-los das minhas mãos? “ 

Sadraque, Mesaque e Abede-Nego responderam ao rei: “Ó Nabucodonosor, não  precisamos defender-nos diante de ti. 

Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar nos, e ele nos livrará das suas mãos, ó rei. 

Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos seus deuses nem  adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer”. 

Nabucodonosor ficou tão furioso com Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que o seu  semblante mudou. Deu ordens para que a fornalha fosse aquecida sete vezes mais do que  de costume 

e ordenou que alguns dos soldados mais fortes do seu exército amarrassem Sadraque,  Mesaque e Abede-Nego e os atirassem na fornalha em chamas. 

E os três homens, vestidos com seus mantos, calções, turbantes e outras roupas, foram  amarrados e atirados na fornalha extraordinariamente quente. 

A ordem do rei era tão urgente e a fornalha estava tão quente que as chamas mataram os  soldados que levaram Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, os quais caíram amarrados  dentro da fornalha em chamas. 

Mas, logo depois o rei Nabucodonosor, alarmado, levantou-se e perguntou aos seus  conselheiros: “Não foram três homens amarrados que nós atiramos no fogo? ” Eles  responderam: “Sim, ó rei”. 

E o rei exclamou: “Olhem! Estou vendo quatro homens, desamarrados e ilesos, andando  pelo fogo, e o quarto se parece com um filho dos deuses“. 

Então Nabucodonosor aproximou-se da entrada da fornalha em chamas e gritou:  “Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saiam! Venham aqui! ” E 

Sadraque, Mesaque e Abede-Nego saíram do fogo. 

Os sátrapas, os prefeitos, os governadores e os conselheiros do rei se ajuntaram em torno  deles e comprovaram que o fogo não tinha ferido o corpo deles. Nem um só fio do cabelo  tinha sido chamuscado, os seus mantos não estavam queimados, e não havia cheiro de  fogo neles. 

Disse então Nabucodonosor: “Louvado seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego,  que enviou o seu anjo e livrou os seus servos! Eles confiaram nele, desafiaram a ordem do  rei, preferindo abrir mão de suas vidas a terem que prestar culto e adorar a outro deus,  que não fosse o seu próprio Deus. 

Por isso eu decreto que todo homem de qualquer povo, nação e língua que disser alguma  coisa contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja despedaçado e sua casa  seja transformada em montes de entulho, pois nenhum outro deus é capaz de livrar  ninguém dessa maneira”. 

Então o rei promoveu Sadraque, Mesaque e Abede-Nego a melhores posições na província  da Babilônia”. (Daniel 3:1-30) 

Eu quero olhar nos olhos do quarto homem. E você? 

Apelo aos crentes – quem decide seguir o único e verdadeiro evangelho de Jesus?

Quem se  compromete a lembrar e praticar, todos os dias, os princípios do evangelho autêntico?  Quem quer olhar nos olhos de Jesus?

                                                                                              

Ricardo B. Marques

                                                      Casado com Ana Carmem. Pai de Daniel e Rebeca.

                                                                     Biólogo, Neurocientista e Psicoterapeuta.

Medite sobre este tema e compartilhe com um irmão sobre esta palavra!