Muitas vezes nos perguntamos para que Deus colocou líderes na Igreja. Por muitos anos os seminários e as faculdades prepararam líderes para fazer a obra, ao invés de preparar líderes para que eles tivessem a capacidade de treinar a igreja para que ela cumprisse seu papel. Apesar de encontrarmos no Velho Testamento menções sobre a casta sacerdotal, Deus sempre teve a intenção de ter um povo sacerdotal, não somente alguns sacerdotes. E é no Novo Testamento que Deus nos mostra que todo esse propósito é cumprido através de Cristo (I Pedro 2:9). Veremos que a edificação da Igreja está diretamente proporcional ao desempenho do serviço dos santos.

Acompanhe no youtube (ao final deste texto) esta palavra que trará um forte impacto ao seu ministério: o serviço de todos os santos.

INTRODUÇÃO

Dentre os vários chamados feitos pelo Senhor à sua igreja, um deles é o serviço dos santos. Quero iniciar esta ministração trazendo uma figura: uma carroça subindo uma lomba (ladeira) com um pastor empurrando e sua congregação dentro dela. Poderia ser aqui uma visão tradicional onde o pastor faz tudo. Uma outra visão seria a mesma carroça, o mesmo pastor e o mesmo grupo de discípulos mas, o pastor dentro da carroça direcionando, os irmãos, os quais estão  empurrando e subindo a lomba, então todos estão trabalhando..  Uma pergunta: “Tu estás dentro ou fora da carroça?”

A OBRA DA LIDERANÇA

 Na continuidade deste assunto trago aqui uma  pergunta importante e decisiva: “Para que Deus colocou líderes na igreja?”   Vamos ler Efésios 4.7-16.  No capítulo 4,  trata da liderança da igreja e o serviço dos santos. E queremos incluir nesta liderança da igreja todos aqueles que cooperam na obra de Deus pastoreando, apostolando, ensinando, discipulando, evangelizando, liderando vidas para o Senhor.

  No v.11 temos os homens dons que Deus concedeu à igreja; 

  No v.12 diz para que eles existem.

PARA QUE NÃO EXISTEM?

  Mas, em primeiro lugar, vamos apontar para que Deus NÃO colocou os líderes da Igreja: O Senhor não colocou líderes na igreja para edificarem a igreja. Muitos quando lêem Efésios 4.11, pulam para a última parte do v12: “… para a edificação do corpo de Cristo”. E com isto eles têm um conceito tradicional que eles precisam de um  salão para reunir as pessoas para ouvi-los e serem edificadas. É mais que isto.

  O Senhor não colocou líderes na igreja para fazerem a obra no lugar dos santos. Quando lemos as qualificações dos presbíteros, dos líderes em 1 Tm 3 e Tt 1, não é dito que eles têm que pregar, aconselhar, orar, expulsar demônios, etc, e sim, unicamente, que eles têm que ser aptos para ensinar. Porque? Porque toda a igreja é chamada para fazer a obra de Deus. Ex de Atos  8.1 como cumprimento de Atos 1:8. É mais que isto.

  O Senhor não colocou líderes para, conforme lêem em Efésios 4.12, “para o entretenimento dos santos”. Pensam que precisam ter bons sermões, boas reuniões, boa música. Neste sentido, o centro do culto será mais para o homem do que para Deus. É mais que isto.

PARA QUE EXISTEM?

   Um dia quando ministrei sobre isto: para que Deus não colocou líderes na igreja, um pastor disse: “Tu queres acabar com o meu pastorado? Estou fazendo tudo isso!!!” Agora então ele podia aprender!!!!   Mas, irmãos, para que Deus colocou líderes na igreja?   Efésios 4.12 nos dá duas afirmativas e uma conclusão.

APERFEIÇOAMENTO DO CORPO

Deus colocou líderes na igreja com vistas ao aperfeiçoamento dos santos. Esta palavra, aperfeiçoamento, do grego, katartismós, tem sido traduzida na versão atualizada como aperfeiçoar, formar, consertar, corrigir, reparar, preparar, instruir. Temos aprendido , de acordo com o original, e no contexto de Efésios 4, que  significa o reto ordenamento dos santos. É colocar cada santo no seu devido lugar no corpo de Cristo. São os relacionamentos, a paternidade, o pastoreio, a prática das mutualidades, o cuidado pessoal das vidas ou discipulado. Quando os santos estão bem vinculados no corpo de Cristo, membros com membros, irmãos com irmãos, debaixo do Cabeça, Cristo, então receberão dele sua vida, poder, riquezas, autoridade.

DESEMPENHO DO SEU SERVIÇO

  Só depois que cada santo está bem vinculado no corpo de Cristo é que poderá desempenhar o seu serviço. É o serviço dos santos, de cada irmão, cada discípulo. E qual é este serviço? É de multiplicar a vida de Cristo pela pregação do evangelho do reino e a formação de discípulos. É uma igreja que se mobiliza; que  prega o evangelho e  faz discípulos. Deus, podemos dizer, não nos perguntará quantos sermões pregamos ou quantos ensinos damos, etc., mas, sim, quantos santos equipamos para que eles desempenhem o seu serviço.

EDIFICAÇÃO DA IGREJA

  Só depois que a igreja tem o corpo de Cristo bem vinculado e está desempenhando o seu serviço, então, como resultado, vamos ver o que todos nós esperamos: a edificação da igreja. Por isso, podemos afirmar, que a edificação da igreja é proporcional ao desempenho do serviço dos santos.

E qual é a qualidade desta edificação? É de tirar a igreja de sua eterna infância espiritual, de crianças em Cristo, para a sua maturidade, à estatura do Varão perfeito, Cristo.

 Conclusão:   Em Efésios 1.22,23 define a igreja como a plenitude de Cristo. E esta palavra no grego é “pleroma”, traduzida em Efésios como “plenitude” e “poder”; ela aparece 5 vezes nesta carta. O que isto significa? Significa que Cristo precisa da igreja, que é seu corpo, para poder expressar toda sua vida.

Amados, Cristo não tem outro meio de se expressar à igreja e ao mundo se não a igreja. Ele não tem outro meio e não quer outro meio. Ele se limitou a cada um de nós. E assim como Jesus no corpo da sua carne expressou a vida do Pai, a igreja, corpo de Cristo, também é chamada para expressar a Sua vida.

 O que faremos? Corresponderemos a tudo o que ele tem para nós? Somos corpo de Cristo, somos seus pés, olhos, mão para expressar sua vida à igreja e ao mundo. Moisés Moraes  disse uma frase: “Vai acontecer um grande mover de Deus quando a vida de Cristo se expressar através da igreja pelo seu Espírito Santo”.

Amados, se estamos vivos e recebemos do Senhor um ministério ou serviço, só tem um propósito: expressar toda a plenitude da vida de Cristo.

Autor Pr. João Nelson Otto

Presbítero na Comunidade de Porto Alegre, pastoreando vidas desde 1979. Formado em teologia, casado com Sirlei Otto, pai de 3 filhos e avô de 10 netos. Autor do livro “O serviço dos santos”.

O texto acima expressa a visão do autor sobre o assunto, não sendo necessariamente a visão do site.

Ao ler este texto, você está dentro ou fora da carroça? (mencionada no início deste texto)