2.Restaurando os muros: nossos relacionamentos e nossa família (parte 2)

INTRODUÇÃO

Vimos que Esdras fala da restauração do templo; Neemias fala da restauração dos muros. O templo fala da vida com Deus, os muros falam dos nossos relacionamentos e nossa família.

OS MUROS

 A descrição da cidade de Jerusalém é de uma cidade sem muros, muros caídos, muros queimados, (Ne 1.3.) E quando Neemias viu, chorou e orou ao Senhor pois viu que tudo isto era consequência dos seus pecados, 1.4-11. Muitas vezes vivemos assim: temos muros dos nossos relacionamentos que foram derrubados e precisam ser restaurados. Como dizem: “A casa caiu”. Então há muros que devem ser reconstruídos no nosso relacionamento; valores perdidos que precisam ser restaurados como a manifestação da presença da vida com Deus (que vimos) e o temor de Deus, o amor e o perdão, o respeito e a honra, etc. Mas Neemias não se acomodou com a situação, não deixou de lado o que estava acontecendo. Ele orou a Deus para ter uma oportunidade de ir à cidade para restaurar os muros. O templo já estava restaurado; os muros, não. Então, Deus ouviu sua oração e o rei da Babilônia, agora Artaxerxes, permitiu ele ir. E ao chegar já foi avaliando a situação da cidade, 2.11-13.

Muitas vezes nós nos acomodamos nas situações que devemos resolver e nada fazemos. Podemos ver ou saber de uma situação, mas nada resolvemos. Muitas vezes a esposa procura ajudar seu esposo ou ele sua esposa ou os filhos aos pais ou os pais aos filhos, dizendo que algo está para acontecer ou já aconteceu, mas nenhuma medida foi dada. Ficamos na zona de conforto, não vamos à luta.  Mas os problemas que vêem são oportunidades para vermos o milagre de Deus acontecer na nossa casa, na igreja. E isto tudo nos leva a amadurecer como diz em Tiago 1.1-3.

  Neemias, depois de ver os muros, então se levantou entre seus irmãos e como um exemplo de líder da sua casa e do povo de Deus, levou o povo a ver a situação e desafiou e animou seu povo para a obra. Viu que sozinho não poderia reconstruir os muros; mas com seus irmãos, poderia, 2.17-18. E ele adotou uma estratégia que deu certo: cada família edificou o muro em frente sua casa, como vemos a partir do capítulo 3.

Vejamos alguns os detalhes de alguns versículos deste capítulo, 3.1,2,4,12,21,23,28,30. Muitas vezes também nós queremos fazer a obra na nossa casa e nos nossos relacionamentos sozinhos. Não!  Precisamos uns dos outros. Na nossa casa precisamos da nossa esposa, esposo, filhos. Na igreja precisamos dos nossos irmãos, nosso discipulador, nosso pastor, uns dos outros. É a vida do corpo, da família. Devemos leva- los a ver a situação que estamos passando e devemos desafiá-los e animá-los à obra que O Senhor quer que façamos. Se não fizermos isto, nenhuma obra se realizará. E cada um é chamado para realizar a obra a partir da sua casa.  É nosso privilégio e responsabilidade.  Neemias quando projetou começar a obra, os inimigos já se apresentaram e se opuseram à obra: Sambalá e Tobias, 2.19. Mas Neemias não se acovardou e deu uma resposta à altura, 2.20.

Nós também não devemos nos acovardar diante das situações que atravessamos. Não devemos, como diz o título de um filme, “dormir com o inimigo”. Devemos nos levantar, nos posicionar e lutar contra os nossos inimigos. 

AS ARMAS DO INIMIGO

  E os inimigos de Neemias adotaram algumas estratégias para que os muros não fossem restaurados. Dos seis ataques, vamos mencionar dois. Podemos dizer que são os inimigos que atuam fora dos nossos relacionamentos e os inimigos que atuam do lado de dentro dos nossos relacionamentos. A luta é inevitável quando estamos acertando nossa vida, estamos sendo restaurados. Os inimigos se levantam. Mas devemos saber que nossa luta não é com as pessoas, mas com o diabo, Ef 6.11,12.

 Vejamos suas estratégias:

  1. Pela zombaria, 4.1-3. Este é o inimigo que atua do lado se fora dos nossos relacionamentos. O inimigo usou a técnica da zombaria, de palavras desanimadoras. Mas Neemias orou e Deus deu vitória, edificando já a metade da altura dos muros, 4.4-6. E o inimigo também pergunta para nós: “Renascerão, acaso, dos montões de pó as pedras que foram queimadas?, 4.2. Podemos nos perguntar ou alguém nos perguntar se isto é possível restaurar nossa casa, nossos relacionamentos, uma vez que eles foram destruídos ou precisam ser edificados. Mas é a voz do inimigo. Porque Deus é Deus de milagres, de restauração. Basta se arrepender e crer no que Deus pode fazer.
  1. Pela conspiração, 4.7-23. O outro inimigo é aquele que atua dentro dos nossos relacionamentos. O inimigo começou a conspirar contra a obra bem no momento que as brechas dos muros estavam sendo fechadas. O inimigo ficou irado. Queriam atacar e suscitando confusão, ele iria entrar pelas brechas dos muros, 4.7-8. Mas Neemias tinha uma estratégia mais poderosa: orar e vigiar. Por um lado eles oravam e pelo outro lado eles colocaram guardas para guardar os muros, 4.9. Pior ainda, devido esta investida do inimigo, os próprios judeus desfaleceram e disseram que não podiam mais edificar os muros, 4.10. E mais ainda, o inimigo foi mais sutil ao bolar um plano maléfico de se infiltrar no meio do povo de Deus para matar e assim cessar a obra, 4.11. Eram inimigos por fora e por dentro dos muros. Mas Neemias se levantou novamente e animou o povo à obra (4.13,14, principalmente o final do v.14). E Deus deu vitória, frustrando o inimigo, 4.15-18. Mas como a obra era grande e eles estavam muito separados , longe uns dos outros, então Neemias colocou alguém para tocar trombeta para o povo se reunir quando precisava devido às investidas do inimigo. E disse estas palavras célebres: “O nosso Deus pelejará por nós”, 4.19,20. E assim, dia e noite, trabalhavam. E um grande detalhe: numa mão carregava a pá de trabalho e noutra uma espada, 4.17.

CONCLUSÃO

Quando estamos construindo ou reconstruindo nossos muros de relacionamentos, devemos fechar bem suas brechas para o inimigo não entrar. Por isso, devemos orar e vigiar. Assim disse Jesus. Pela oração buscamos a dependência de Deus e pela vigilância buscamos nos guardar dos ataques do inimigo. E devemos vigiar contra nossa falta de fé e desânimo quanto à conclusão da obra de Deus nos nossos relacionamentos. 

E também temos que vigiar contra as infiltrações do inimigo na nossa vida, família e relacionamentos.  Devemos ter revelação que Deus, como diz Neemias, pelejará por nós! Assim, devemos trazer numa mão a pá da obra de Deus e noutra mão a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Por certo, já temos a vitória. Aprendemos que não lutamos para ter a vitória; Não!  Nós lutamos a partir da vitória que já temos em Cristo! Quando vem o inimigo devemos nos revestir da armadura de Deus que é Cristo em nós, Ef 6.10-20.

  Irmãos, quais são nossos inimigos que querem derrubar os muros dos nossos relacionamentos? Os inimigos da época de Neemias diziam: “Ainda que edifiquem, vindo uma raposa derrubará o seu muro de pedra”, 4.3. Em Cantares é dito que a raposa é como um inimigo dos nossos relacionamentos que quer entrar pelos nossos muros e devastar as vinhas do jardim do amor do casal. E a esposa, que vê a raposa, diz para seu esposo pegá-la, tirá-la do seu jardim, Ct 2.15. A esposa tem o discernimento; o marido tem a autoridade.

Irmãos, quais são estas raposas que querem entrar pelas brechas dos muros dos nossos relacionamentos, do nosso casamento, nossa família para derrubá-lo?  Podemos apontá-los?  Há muitos inimigos, por exemplo, situações não resolvidas que geram dor, amargura, falta de perdão, falta de amor, más lembranças, mentiras, traição, impurezas, devaneios, acusações, comparações negativas, etc. 

  Mas o trabalho de restauração dos muros foi realizado. Foi um tempo rápido, um milagre em 52 dias. Até os próprios inimigos reconheceram que pela intervenção de Deus é que eles fizeram aquela obra, 6.15,16.

Irmãos, nós podemos ficar surpreendidos como que o Senhor pode fazer com nosso casamento, família, relacionamento  em pouco tempo, com rapidez Ele pode fazer.. E isto será um testemunho contra os nossos inimigos que irão reconhecer a intervenção de Deus em nossa vida. Como disse alguém: “O possível podemos fazer, mas o impossível só Deus pode realizar”. 

Restaurando a obra: o relacionamento na obra de Deus (parte 3)

INTRODUÇÃO

  Queremos dizer alguns pensamentos importantes quanto a obra de Deus: “Nenhum sucesso na vida e na obra de Deus pode compensar o fracasso no lar”. “A primeira obra que Deus quer fazer começa em nós, só depois através de nós”. “Há uma diferença entre trabalhar para Deus e com Deus”. “A obra de Deus não é trabalhar para Deus, é Deus trabalhar em nós; mas quando deixamos Deus trabalhar em nós, então podemos trabalhar para ele”.

  Quando Lemos Esdras e Neemias, podemos ver uma ordem quanto à obra de restauração em Israel, o que serve para a igreja. Primeiro, a restauração do templo, nosso relacionamento com Deus; depois, a restauração dos muros, nossos relacionamento com a família (de Deus e a nossa).

PRINCÍPIOS DA OBRA

  E com Neemias podemos ver alguns príncipios de liderança na nossa vida e nossa casa, uma vez que ele é uma das maiores referência bíblicas de liderança, até mencionado em livros seculares.

Veremos seus princípios:

  1. Primeiro princípio de liderança: Um líder começa sua obra liderando a si mesmo, antes de liderar outros. 
  1. Segundo princípio de liderança: Um líder é um homem que se agrada em temer o nome de Deus.
  1. Terceiro princípio de liderança: Um líder é um homem que tem intimidade com Deus: oração, jejum e Palavra.
  1. Quarto princípio de liderança: Um líder sempre tem uma visão e um encargo de Deus.
  1. Quinto princípio de liderança: Um líder nunca trabalha sozinho, trabalha em equipe.
  1. Sexto princípio de liderança: Um líder tem fé em Deus e coragem contra seus inimigos.
  1. Sétimo princípio de liderança: Um líder é um incentivador com seu exemplo e palavras.
  1. Oitavo princípio de liderança: Um líder nunca desiste daquilo que Deus deu para ele fazer.

Autor Pr. João Nelson Otto

Presbítero na Comunidade de Porto Alegre, pastoreando vidas desde 1979. Formado em teologia, casado com Sirlei Otto, pai de 3 filhos e avô de 10 netos. Autor do livro “O serviço dos santos”.

O texto acima expressa a visão do autor sobre o assunto, não sendo necessariamente a visão do site.

Ao analisar sua vida como líder da sua casa, você acredita que você tem honrado os princípios de liderança descritos no texto?