“Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’. Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’, será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco! ’, corre o risco de ir para o fogo do inferno.

“Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.

“Entre em acordo depressa com seu adversário que pretende levá-lo ao tribunal. Faça isso enquanto ainda estiver com ele a caminho, pois, caso contrário, ele poderá entregá-lo ao juiz, e o juiz ao guarda, e você poderá ser jogado na prisão.

Eu lhe garanto que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo”.

“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não adulterarás’.

Mas eu lhes digo: qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.

Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno.

E se a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ir todo ele para o inferno”.

“Foi dito: ‘Aquele que se divorciar de sua mulher deverá dar-lhe certidão de divórcio’.

Mas eu lhes digo que todo aquele que se divorciar de sua mulher, exceto por imoralidade sexual, faz que ela se torne adúltera, e quem se casar com a mulher divorciada estará cometendo adultério”.

Mateus 5:21-32

Antes de Jesus nascer, os fariseus eram a maior representação de autoridade da lei que as pessoas conheciam. Eles eram doutores da palavra e, por mais que estudassem letra por letra da lei de Moisés, ainda não tinham o entendimento completo do espírito da lei.

 Por isso, quando Jesus apresentou a correta aplicação da palavra de Deus, além de ser um choque aos que o ouviam, foi um confronto direto ao caráter e a cultura daquele contexto. Tudo o que eles faziam eximia a manifestação da graça misericórdia de Deus através de seus mandamentos e era isso que Jesus queria ensinar.

 A lei era aplicada sem passar pelo prisma do amor de Deus e sem transformar o caráter das pessoas. O fariseus agiam de acordo com os impulsos da carne sem deixarem que a palavra mudasse a cultura na qual estavam inseridos. E onde Deus está, há mudança de caráter e cultura.

 Outro aspecto que os religiosos não praticavam, era praticar o evangelho dentro de seus relacionamentos. Além de anunciar as boas novas a quem não conhece a Jesus, nós precisamos falar para aqueles que convivem conosco, ensinando e praticando as bem-aventuranças. E esse é um grande desafio!

 Desta forma, ouse ser diferente e ouça as palavras de Jesus, desejando ser agente de transformação de caráter e cultura por onde você passar! Pratique os mandamentos através do prisma do amor de Deus e se encha da verdade do evangelho!

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Ouça o áudio da Lição 12 do Sermão do Monte.

      O caráter e a cultura | Sermão do Monte Ep. 12

Você pode iniciar o curso deste tema clicando no botão abaixo

Para se inscrever no cursos de forma gratuita, acesse o link www.encontrocomapalavra.net

Estudos do ECAP – Encontro com a palavra